RELEASE//

O vocalista Austin Getz não pensa duas vezes quando tem que definir “Good Nature”, o terceiro álbum do Turnover: "Este disco é sobre aprender. Abrir os olhos para coisas novas, sair da zona de conforto e aprender a crescer dentro de algo novo".

O álbum anterior, “Peripheral Vision”, de 2015, ganhou elogios por exibir um lado sonhador do som melodicamente carregado da banda. A revista Billboard observou que "o quarteto se transformou em uma banda de rock indie temperamental e atmosférica, sem perder a habilidade de atrair a atenção”. Seria fácil tentar repetir esse sucesso no terceiro álbum, mas a banda resistiu ao desejo de jogar com segurança. "Pode ser difícil ser honesto consigo mesmo quando se trata de criatividade", admite Austin. Excitada pelas oportunidades de crescimento pessoal e criativo a banda trabalhou arduamente para encontrar um equilíbrio para o seu desenvolvimento, “escrevendo boas músicas, mas quebrando barreiras".

Quanto as texturas, tempos e dinâmicas de “Good Nature”, os membros do Turnover dizem terem ouvido uma gama mais ampla de estilos musicais nos últimos dois anos: Soul vintage do Sul, Blues, Bossa Nova, Cool Jazz, música eletrônica e ritmos psicodélicos. "O novo álbum definitivamente tem uma sensação rítmica diferente por causa disso", observa o vocalista. "As melodias que escrevemos para este disco são muito diferentes, muito menos lineares. Elas possuem muito mais alma e movimento".

Ao ouvir como a vagarosa "Nightlight Girl" se funde com a propulsora "Breeze”, e a forma como a “Good Nature” flui como um todo, fica evidente que o quarteto tem prestado mais atenção ao modo como os artistas de épocas anteriores fizeram seus álbuns. “O ‘Pet Sounds’ do The Beach Boys tornou-se um dos meus cinco discos favoritos de todos os tempos", diz Austin, citando não só a qualidade individual das faixas, mas também a cuidadosa sequência e uso do espaço nos arranjos. "Eu li um artigo enorme sobre Frank Ocean, antes de terminar de escrever ‘Good Nature’, falando sobre como ele aproveitava o tempo em seus discos e como é paciente com o processo, e isso realmente me inspirou".

Ao mesmo tempo que a banda abria seus ouvidos, os integrantes também buscavam a compreensão sobre eles mesmos: "Uma grande parte do álbum é aprender a ser feliz". Não uma exuberância cheia de aceleração, mas algo muito mais sutil e gratificante. O resplendor quase beatífico que impõe "Good Nature" vem de um lugar de calma e contentamento, nutrido do olhar para dentro.

“‘Peripheral Vision’ era principalmente um álbum sobre o sentimento de vazio e não saber o que fazer. Este disco é sobre os passos que tomei depois de sentir essas coisas e ser levado por elas, e aprender a tentar amar o vazio". A mistura única do álbum de crescimento musical e espiritual é imediatamente audível na faixa de abertura, "Super Natural", um idílio de final de verão com partes de guitarra entrelaçadas e vocais descontínuos. "Mais do que qualquer outra coisa, o amor tem a habilidade de ensinar a pessoas abnegadas", diz Austin. "Essa música é especificamente sobre apenas um tipo de amor, o amor romântico, e como isso se tornou quase meditativo para mim. Isso me fez sentir tão relaxado, mas ao mesmo tempo eu podia sentir que era algo tão grande.... É supernatural e ao mesmo tempo sobrenatural”.

Da flora e da fauna que adornam sua capa, a títulos de canções como "Butterfly Dream" e "Sunshine Type", o mundo natural também desempenha um papel fundamental neste álbum do Turnover. "A natureza é um tema enorme, porque a natureza tem sido professora na minha vida quando se trata de muitas coisas".

Para gravar “Good Nature”, o Turnover se reuniu novamente com o produtor Will Yip. Juntos, passaram mais tempo no estúdio do que em qualquer trabalho anterior da banda, dedicando horas de pré-produção para repassar metodicamente as novas músicas, ajustar trechos e escrever melodias adicionais. A maior parte das letras, no entanto, foi finalizada durante a turnê europeia da banda em 2016. “Foi uma atmosfera bonita para escrever este disco, e a experiência mais intensa que já tive como escritor".

O Turnover foi formado em 2009 em Virginia Beach, EUA, e passou a viajar extensivamente por toda a América do Norte, Europa, Austrália e Japão. Sua discografia inclui três álbuns e inúmeros EPs e splits-singles. "É muito legal ver todas as mudanças, desde as primeiras músicas que já escrevemos até ‘Good Nature’”, conclui Austin. Com oito anos de carreira, o Turnover soa melhor do que nunca. Coloque seus fones, abra seus ouvidos e entenda o que queremos dizer sobre "Good Nature".


DETAILS//

Artist: Turnover
Title: Good Nature
Catalog#: HBB140
Released: August, 2017
Pressing: TBI
Barcode: TBI


BUY//

www.hbbstore.com/tag?tag=Turnover